Monumentos

Natureza

Povoações

Festas

Tradições

Lendas

Insólito

Como em todos os concelhos de Portugal, Ferreira do Alentejo tem o seu próprio doce e leva o nome de quem lá nasceu: Ferreirense. Mais: a sua confecção foge um pouco à regra do que é feito no país. Os ovos lá estão, como sempre. Mas há surpresas.

A contribuição de Ferreira do Alentejo para a doçaria nacional

O nome não poderia ser mais descritivo – Ferreirense porque vem de Ferreira do Alentejo, embora o título também fosse aplicável a alguma coisa nascida ou criada em Ferreira do Zêzere.

Come-se durante todo o ano, mas será entre Julho e Setembro, quando a amêndoa sai da casca, que mais é procurado. Pode ser comprado em alguns mercados e pastelarias da vila, bem como no Posto de Turismo. Fora de Ferreira do Alentejo, desconheço onde exista.

Quanto ao petisco…

A grande novidade do Ferreirense está no uso de doce de abóbora chila e de Vinho do Porto. Já lá iremos.

Primeiro que tudo, o açúcar. Deve-se fervê-lo e, com ajuda da escumadeira, fazer o teste para o ponto de pasta. Estando a cama pronta, entram agora os agentes do sabor.

Primeiro, a amêndoa, que deve estar sem pele e em pó, mergulha na fervura. Retira-se depois do lume e espera-se que o composto arrefeça. Retorna-se com o tacho à fervura introduzindo a canela, o Vinho do Porto, o doce de abóbora gila (temos marcas que vendem a chila já em doce, mas há sempre quem prefira fazê-lo por si), e os ovos (gema e clara). Depois de fervido, retira-se novamente do lume e, mais uma vez, deixamos arrefecer. O recheio deve então ser colocado em copos de massa fina previamente preparados. No final, temos um doce semelhante, em aspecto, ao de uma queijada, embora de miolo mais escuro.

Alfredo Saramago, no seu Livro-Guia do Alentejo, partilha uma receita muito parecida mas com menos um passo – no fundo, os ingredientes entram todos ao mesmo tempo na fervura (a amêndoa e os restantes), o que significa que apenas se tem de deixar arrefecer o tacho uma vez ao invés de duas.

Ferreira do Alentejo – o que fazer, onde comer, onde dormir

A vasta maioria do que há para ver em Ferreira do Alentejo está na própria sede de concelho. Em primeiro lugar, no património religioso: a Capela do Calvário, símbolo maior da vila, é obrigatória, mas também a Igreja da Senhora da Conceição e a Igreja Matriz - que partilham a história de uma imagem que se crê ter ido com Vasco da Gama até à Índia -, merecem visita. Em segundo, o Museu Municipal - uma compilação da história e da cultura de Ferreira do Alentejo numa casa senhorial recuperada e de bonita fachada. Em terceiro, o bom gosto do Festival Giacometti, dedicado à cultura Ibérica, sobretudo a alentejana, homenageando da melhor maneira o homem que tanta recolha musical fez pelo país. E por último, a estátua da Ferreira, mulher de armas que deu nome à vila e que encontra eco noutras heroínas nacionais.

Para lá da urbe, Ferreira do Alentejo é uma exibição do Baixo Alentejo: planície infinita, casario caiado, chão de azeite e uva. Por falar em azeite, o Lagar do Marmelo disponibiliza pedagógicas visitas que devemos encarar como um primeiro passo para levar o nosso azeite mais a sério. E por falar em uva, o Vale da Rosa abre portas aos curiosos que queiram saber um pouco mais sobre a sua afamada uva sem grainha. Já na fronteira norte do concelho há um pequeno oásis, a Lagoa dos Patos, bem perto da Albufeira da Ribeira de Odivelas. E na fronteira oriental há a pequena povoação de Peroguarda, ainda hoje celebrada entre os locais como a mais alentejana do Alentejo, conforme afirmava a propaganda de António Ferro. Quanto ao artesanato, é fundamental conhecer as Cestas de Odivelas criadas na aldeia com o mesmo nome.

Na gastronomia local, destacam-se o Ferreirense (doce a lembrar uma Queijada de Sintra feito à base de amêndoa, ovos e Vinho do Porto) e o Cozido à Alentejana (um belo prato de tacho que mistura enchidos e carnes de porco com grão). Nos restaurantes recomendam-se O Chico (barato e simpático, com uma excelente Sopa de Cação) e O Portão (artesão da comida tradicional alentejana), ambos em Ferreira do Alentejo.

Quanto a camas confortáveis para passar a noite, destacam-se o Trendy and Luxe Bed & Breakfast (situado a sudoeste da vila), a Casa do Infante (uma elegante casa solarenga à saída de Ferreira do Alentejo) e o Monte da Floresta B&B (imediatamente a sul da vila).

Outras ofertas para dormir em Ferreira do Alentejo podem ser vistas em baixo: