Santuário de Nossa Senhora do Desterro

by | 14 Out, 2014 | Beira Alta, Lugares, Monumentos, Províncias, Religiosos

Monumentos

Natureza

Povoações

Festas

Tradições

Lendas

Insólito

O Santuário de Nossa Senhora do Desterro não se refere a um edifício por si só, mas a um conjunto de dez capelas que se complementam entre si, construídas ao longo de duzentos anos, e situadas na vila de São Romão, mesmo encostada à cidade de Seia, nas terras do Queijo da Serra, e em pleno Parque Natural da Serra da Estrela.

As capelas da Senhora do Desterro

Cada capela conta com designação própria: a dos Doutores (ou da Senhora dos Prazeres), a da Boa Viagem, a do Senhor do Horto, a da Senhora da Apresentação, a do Senhor do Calvário, a da Senhora da Anunciação, a do Encontro, a da Senhora da Piedade, a da Verónica e, por fim, a da Senhora do Desterro, pioneira do grupo e que dá o nome a esta compilação do Sagrado.

Foi recentemente considerado conjunto de interesse público, dando-lhe alguma fama e proveito no que toca a visitas turísticas.

Um santuário conceptual

Este agrupamento barroco, de arquitectura simples, tem um quadro conceptual, como se cada capela fosse uma peça de um puzzle, e retrata a Infância e Paixão de Cristo, cruzando-a com a Vida e Paixão da Virgem.

A sua fundação remonta a 1650, com a pioneira Capela da Senhora do Desterro, agora aumentada em dimensão, a abrir portas às oito seguintes, e que evocava a Fuga para o Egipto. O ciclo fechou-se em 1892, com a construção da décima, intitulada Capela da Senhora da Boa Viagem, que não é mais do que um ex-voto de um casal doador particular, e que difere das restantes nove por não encaixar na temática global do conjunto – tratou-se de um cumprimento de uma promessa quando tal casal sobreviveu a um naufrágio.

Dispersam-se ao longo da muito beirã vila de São Romão, em ambas as margens do rio que a atravessa: o Alva.

Algumas são tão despidas de ornamento que nem altar têm. É daqueles casos em que o conjunto é maior do que a soma das partes.

Seia – o que fazer, onde comer, onde dormir

No concelho de Seia, antes de pensar onde quer dormir, deverá perguntar a si primeiro o que quer fazer.

Para visitar a estância de esqui, o ideal é aproximar-se da Torre, não esquecendo que, ainda assim, as dormidas mais práticas até ficam no concelho de Manteigas. A Casa da Carvalha e o Loriga Hostel, ambos situados na vila de Loriga, são bastante recomendáveis, tal como a Casa do Forno, em Valezim.

Para experienciar turismo rural em aldeias de montanha, além dos supracitados, sugerimos o Abrigo do Outeiro em Cabeça (em Dezembro Cabeça cria a sua Aldeia Natal, altura em que convém marcar com alguma antecedência) ou as Casas do Soito na pitoresca vila de Lapa dos Dinheiros. Nesta vertente de turismo de natureza, torna-se uma quase obrigação visitar a mão cheia de cascatas que podemos ver nos vários Poços da Broca.

Caso a intenção seja ficar mesmo junto a Seia e ir à busca de bons repastos de cabrito com os inevitáveis Queijo da Serra e Bolo Negro a terminar refeições, lembrem-se da Quinta de Vodra. E já agora, aproveite-se para explorar o Museu do Pão e as capelinhas do Santuário de Nossa Senhora do Desterro bem como a famosa Cabeça da Velha.

Promoções para dormidas em Seia podem ser vistas em baixo:

Mapa

Coordenadas de GPS: lat=40.39483 ; lon=-7.694963