^

Arribas de Santo André

by | 6 Dez, 2019 | Beira Alta, Lugares, Natureza, Planaltos, Províncias

Monumentos

Natureza

Povoações

Festas

Tradições

Lendas

Insólito

Nas arribas de Santo André, escarpadas no rio Águeda, traça-se um vale fundo e uma fronteira com Espanha.

O fluxo escuro, irmão gémeo do Côa, estende-se por 130 km até ao Douro. Nas suas margens, escondem-se segredos e tesouros, semelhantes aos encontrados nos outros canhões fluviais próximos de si. Dentro destas relíquias, incluem-se os castros, povoações fortificadas, erguidas onde o diabo perdeu as sandálias, com vistas deslumbrantes e ravinas a servirem de muralhas ciclópicas.

É o caso do castro de Santo André de Arribas.

O Castro

Neste local, o Santo da cruz em forma de X pode afirmar que são três os seus domínios, nomeadamente duas igrejas e uma fortificação. Começando por esta última, o recinto muralhado em torno do cabeço corresponde à segunda Idade do Ferro, com possível ocupação durante a época romana. Vários vestígios encontrados no local, apontam para estas conclusões, mas as principais pistas para os seus misteriosos ocupantes encontram-se acima do solo e em lugar de destaque.

Dois berrões guardam ainda, ao fim de mais de dois milénios, a entrada para o castro, enfrentando o visitante, com os seus focinhos afunilados, como que impondo algum respeito em quem se aventura das “portas para dentro”.

A sua presença aponta para que o povo que provavelmente o ocupou, pertenceria à tribo dos Vetões, aliados naturais dos Lusitanos, nas suas guerras com Roma, habitantes da extensão do planalto de Salamanca.

Mas, como tudo, são apenas teorias. O que é certo é que, seria o povoado indígena com maior relevo na região. Quiçá fosse a capital dos Cobelci, o povo misterioso da Torre de Almofala, que teria sido romanizado com o tempo.

Capelas de Santo André

Foram-se os habitantes, mas a mística permaneceu e os descendentes desses povos retornam ainda fiéis, durante séculos, ao cabeço em romarias e procissões. A atestar a antiguidade destes ritos, estão lá ainda os vestígios de uma igreja românica de porta em ogiva, com apontamentos supostamente manuelinos.

Com o tempo, a necessidade de novo templo solidificou-se finalmente em 1909, com a capela modesta a raiar branco, para a imensidão do céu que rodeia o vale. Quem queira ver os retábulos do interior, o melhor será comparecer nas romarias sazonais, caso contrário, estará fechada. Para compensar o visitante ocasional, permanecem as armações enfeitadas das festas locais, que ficam de ano para a ano e dão um carácter artístico-plástico ao ermo, tão isolado do Mundo.

Siga-nos nas Redes Sociais

Céu e aves

Os acessos ao Castro de Santo André ou são de todo-o-terreno ou a pé, num percurso pedestre fácil de 8 kms com início na Capela de Santa Bárbara, ainda em Almofala.

Em redor, compensa dar uma volta pelos pombais tradicionais, as vinhas e montados de sobreiro e restante flora, onde se inclui uma azinheira centenária.

Mas fenomenal mesmo é a vista deslumbrante, cenário perfeito para o bird-watching de aves rupícolas, como o grifo, o abutre-do-Egipto, a águia-real, a águia-de-Bonelli, a Cegonha-preta e o Andorinhão-real.

Figueira de Castelo Rodrigo – o que fazer, onde comer, onde dormir

É simples: a primeira coisa a fazer no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo é visitar a povoação-fortaleza que é Castelo Rodrigo, um baluarte fronteiriço que só encontra paralelo em Elvas ou Valença.

Fazendo o check no elementar, podemos ir aos restantes pontos de interesse, que são tantos: a Serra da Maroca e o seu Cristo-Rei a abençoar o vale, o rio Douro já domado que passa por Barca d'Alva, as Arribas de Santo André coladas a Espanha, a Torre das Águias ou de Almofala de carácter lendário. Indo no pico do Verão, em Agosto, aproveite-se para visitar a sede de concelho no Dia dos Idades.

As melhores refeições fazem-se na Cerca, com cozinha tradicional, e no Saborearia, espaço de muito bom gosto com dias de música ao vivo. Para dormir, o histórico Convento d'Aguiar, transformado em hospedaria, e cuja fundação deve ter cerca de mil anos, e a Casa da Amendoeira, dentro da aldeia histórica de Castelo Rodrigo, são de excelente serviço.

Mais ofertas para hotéis e casas de campo em Figueira de Castelo Rodrigo podem ser vistas em baixo:

Booking.com

Mapa

Coordenadas de GPS: lat=40.88915; lon=-6.83329

Siga-nos nas Redes Sociais