Champarrião

by | 25 Out, 2020 | Gastronómicas, Minho, Províncias, Tradições

Monumentos

Natureza

Povoações

Festas

Tradições

Lendas

Insólito

O Champarrião é um néctar típico do Minho e, por vezes, do Douro Litoral, que funde, à boa maneira académica, várias bebidas diferentes.

Jovem companheiro de festas

Raramente o Champarrião é tragado sem ter farra a justificar. É, por tradição, um elemento da festa rija, quase sempre associado às camadas mais jovens, e em especial aos estudantes, dado ser barato de fazer e cumprir com o requisito de ter álcool suficiente.

A receita simplificada é esta: cerveja loira, açúcar, gasosa, aos quais se irá juntar o Vinho Verde que lhe dará a cor (tinta ou branca, embora a primeira predomine). O Champarrião, na maior parte dos casos, abastece-se mais de vinho do que de cerveja, mas faça-se a coisa a gosto. Deve ser bebido bem fresco e, por isso, leva gelo. Optativa é a introdução de canela ou café.

Claro está que o segredo revela-se no equilíbrio da fórmula – não exagerar no açúcar para evitar o enjoo, equilibrar bem a dose de cerveja e de vinho para que ambas se notem na boca, evitar que os ingredientes facultativos se sobreponham aos essenciais, tudo isso distingue um Champarrião de qualidade.

Havendo essa hipótese, deve ser servido em malga ou jarro de barro e copos também de barro, um pouco à semelhança do que se faz com a Queimada Galega. Contudo, enquanto esta última pede tempo frio e nublado, o Champarrião vai bem com os meses estivais, a acompanhar o movimento descendente do sol em fins de tarde.

É famoso o Champarrião do Caçana, em Montaria, Viana do Castelo. Ponto de paragem de muito ciclista que aproveita a Serra de Arga para pôr a competição em dia, o Caçana funciona como um posto de combustível menos poluente e obviamente mais lúdico. Em algumas festas minhotas também o temos nas escolhas imediatas, como na Feira Tradicional Lá de Riba, em Riba de Mouro, ou nas desbundas populares da Quinta da Malafaia, em Esposende.

No Porto, algo muito parecido com o que se convencionou chamar de Champarrião é feito nas tascas estudantis. Trata-se, também, de uma mistura de vinho, cerveja, açúcar e gasosa que levou com outro nome: receita.