Velha da Égua Branca

by | 7 Dez, 2020 | Algarve, Lendas, Mitos e Lendas, Províncias

Monumentos

Natureza

Povoações

Festas

Tradições

Lendas

Insólito

Um dos mais enigmáticos seres fantásticos do folclore luso vem do extremo sul português. No Algarve, ainda há quem fale da Velha da Égua Branca.

As crenças da Velha da Égua Branca

Segundo as vozes que dela falam, é uma mulher de feições gastas e enrugadas pela idade que, pelas noites de lua cheia, cavalga pelas povoações com a sua égua alva, fazendo barulho e libertando o gado. Traz na mão esquerda uma faca e na cabeça usa uma touca de onde saem cabelos avermelhados.

É, apesar da sua aparência aterradora, tida como uma figura genericamente benigna, sendo comum apontá-la como uma alma penada, e o único ser capaz de afrontar um outro do folclore algarvio: o Homem do Chapéu de Ferro.

Teófilo Braga, presidente que também foi investigador, defende tratar-se de uma personificação da noite, o que terá sentido se avaliarmos todo o seu conjunto: a velha como metáfora da noite, a égua branca da lua cheia, as tiras vermelhas dos trovões.

Outras teorias, algumas de credível defesa, relacionam-na com Épona, Deusa equídea celta, posteriormente adoptada por Roma, várias vezes caracterizada como montada num cavalo, levando uma faca ou arma similar na mão esquerda. A este respeito, podemos aqui ler um paralelismo interessante entre um achado encontrado na vila algarvia de São Bartolomeu de Messines, no concelho de Silves – duas pedras revelavam adoração a uma possível Deusa céltica e equídea, isto numa região a que hoje atribuímos as crenças na égua branca e na velha que a monta.

Épona como equivalente da Velha da Égua Branca

Representação, em pingente, de Épona