Santuário de Nossa Senhora de Sabroso

Quando o Rio Douro vai ainda a meio caminho entre a fronteira portuguesa e o Oceano Atlântico, na sua margem esquerda, perto de Barcos, concelho de Tabuaço, anda perdido um Santuário que foi, há mais de dois mil anos, um castro.

Uma Igreja e uma Capela em Sabroso

Sabroso, enquanto povoado, desfiou, e sobrou-lhe o Santuário. Este faz-se de dois monumentos religiosos: uma igreja (foto em baixo), românica, e uma singela ermida, mais a norte (foto em cima).

A primeira é de arquitectura românica, caracterizando-se pela sua força e simplicidade. Nas paredes laterais, tem pedras de sepulturas medievais levantadas, marca de um cemitério medievo que por aqui existiu. Teve a sua importância até Barcos, povoação mais próxima a oriente do Santuário, ter construído a sua Igreja Matriz. Agora brilha uma vez ao ano. É no mês das romarias, Agosto, quando no dia 25 vira alvo de procissão.

A segunda vem mais à frente. Singela e de planta quadrada, fixa num cume envolto de muros de granito e pinheiros desordenados.

Completa-se com o por vezes evitável parque de merendas, rodeado de arvoredo.

Mas o melhor não é o que se vê.

Igreja românica no Santuário de Nossa Senhora de Sabroso

As lendas do Monte de Sabroso

Contam-se lendas acerca de ouro e prata deixados cá por mouros, quando fugiam da avalanche da Reconquista.

Há quem defenda, com óbvia base lendária, que existe um longo corredor por baixo de terra que segue até ao Rio Douro, ou, em alternativa, até Soito Covo. E que era costume levarem-se os cavalos até lá afim de matarem a sua sede.

Uns dizem que o ouro se consubstancia na forma de touro. O que é muito interessante pelo simbolismo que anda à volta de tal animal. E só reforça a ideia de que este tesouro é, afinal, uma metáfora. O percurso infra-terreno serviria assim de iniciação, tal como o é o Labirinto do Minotauro – uma batalha do homem contra os seus medos. Não obstante, e uma boa notícia para os mais aventureiros: houve mesmo quem encontrasse aqui oiro, pelo menos enquanto material de peças como anéis ou braceletes, portanto os caça-tesouros terão matéria para levar a lenda num sentido mais literal.

A juntar, conta-se que os mouros cantarolavam a sua saudade em versos, e que esses testemunhavam as preciosidades lá deixadas. Ó Sabroso, Ó Sabroso / Ó Sabroso da Mesquita / Tanto ouro tanta prata / Como no Sabroso fica. É interessante notar a mesquita aqui mencionada, levando a crer que mesmo os sarracenos poderão ter sido enfeitiçados por este ermo.

Sabroso é mais um activo sobre o rio d’ouro que não pára de contar segredos às gentes que fizeram dele a sua vida

Onde ficar

A sul do Santuário de Nossa Senhora de Sabroso fica esta acolhedora casa granítica duriense, a Casa da Bivó Mafalda.

Com uma aura familiar que enternece, é dos melhores sítios para visitar o monte de Sabroso. Conta ainda com a aldeia histórica de Barcos mesmo ali ao lado, a entregar bons vinhos a quem os merece. E o Rio Douro a pouco mais de dez quilómetros de distância, para norte.

Há cozinha comum aos sete quartos disponíveis da casa, e piscina exterior.

Um abrigo de granito junto ao Santuário de Nossa Senhora de Sabroso

Mapa e Coordenadas de GPS: lat=41.118859 ; lon=-7.616971

Comentários

(251 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.