Praia da Adraga

A Praia da Adraga situa-se na faixa ocidental do Parque Natural de Sintra. Quem faz a Nacional 247 vindo da vila com o mesmo nome, antes de chegar à estrada que dá acesso ao Cabo da Roca, encontrará uma placa que indica o caminho, mandando-nos para a direita. Passamos entretanto pela bela aldeia de Almoçageme e só depois damos com esta praia, de média dimensão, limitada pelas constantes arribas verticais da costa de Sintra, tendo a norte a famosa Praia Grande e a sul a lendária Praia da Ursa. Dependendo da maré, há uma espécie de segunda praia na Adraga onde podemos ir pelo próprio pé, à esquerda de quem está virado para o mar, e o acesso pode ser feito através de um arco naturalmente esculpido na rocha calcária, que finca ambos os seus pés no areal. Podem-se avistar igualmente rochedos de variadas formas isolados das arribas, já meio perdidos e à deriva no Atlântico, prova geológica de como a erosão não tem sido feita delicadamente por estas zonas.

Lá em cima, nas falésias calcárias desertas e quase sem vegetação que abraçam a Adraga, encontram-se brechas e falhas, como é mais que normal no calcário, e que as chuvas esbateram até se tornarem pequenos poços e cavernas, afunilados e profundos. A mais óbvia é a caverna que se encontra na arriba sul, onde normalmente as gaivotas descansam, negra como a noite, e à qual se deu o nome de Fojo dos Morcegos (não confundir com um outro Fojo dos Morcegos, situado na Serra da Arrábida). Para lá ir é recomendável que se volte atrás e se tome novo caminho, seguindo a subida de declive mais suave e evitando a literal escalada que teremos de fazer se optarmos por tomar a distância mais curta vinda da praia. Como tudo em Sintra, destas esculturas feitas pelo furar da água, construiram-se lendas. O mistério também aqui dá de si, e há vozes que falam de rituais pagãos associados a este lugar. Crê-se que no fundo do Fojo dos Morcegos existe uma nereida que, aqui para nós, se trata de um outro nome que se pode dar às Moiras Encantadas, seres míticos associados às entranhas da terra, e, sobretudo, à água.

À entrada, o restaurante que lhe vem em anexo, ao contrário do que é costume no que toca ao negócio da restauração junto a praias de grande público (preço alto, serviço baixo), é bom, embora caro, mas o bom também se paga.

Praias de referência e com direito a recomendação em qualquer guia que se preze, num parque tão preservado como é o de Sintra, são todas. Mas a Adraga conjuga tudo o que há de bom nesse stock, e elimina o pouco que há de mau: é resguardada do vento, ao contrário da Praia do Guincho, é menos populosa e mais íntima que outras de maior procura, como a da Praia Grande, e é de muito fácil acesso, ao invés da quase impenetrável Praia da Ursa.

Mapa e Coordenadas de GPS: lat=38.803387 ; lon=-9.48522

Comentários

(262 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.

2 comentários sobre “Praia da Adraga

  1. Anonymous

    Excelente texto. Praia fantástica num cenário absolutamente mágico. Foi distinguida como uma das 20 melhores praias da Europa o que fez com que nos últimos anos fosse invadida por turistas estrangeiros no Verão.

  2. Ricardo Braz Frade Post author

    Teremos sempre as outras estações para a visitar. E são nessas que este país mais se revela. Um abraço.

Deixar um comentário...