Hotel Serra da Pena

No concelho de Sabugal, freguesia de Sortelha, encontra-se o Hotel Serra da Pena, um hotel monumental de ar acastelado, que teria cerca de noventa quartos e seria também uma estação de tratamentos termais baseados em águas radioactivas, denominadas de “Radium”. O hotel encontra-se abandonado e em ruínas, mantendo-se no entanto grande parte das estruturas e de muitas divisões e anexos, que deixam adivinhar a beleza e monumentalidade que o hotel teria, e que mesmo em ruínas ainda mantém. Ao chegar ao terreno onde se localiza o hotel, damos de caras imediatamente com uma pequena locomotiva a vapor, que parece característica de explorações mineiras, e nos dá o primeiro sinal de uma atmosfera de viagem ao passado que se sente em toda a área. A enorme fachada em pedra é admirável, juntamente com os diversos pavilhões interiores onde se podem encontrar pilares de estilo romano, belos terraços e motivos esculpidos na pedra de inspiração clássica. Os anexos em volta do hotel demonstram que teriam havido belas esplanadas com fontes termais e árvores sombreiras. Localizado numa encosta de um monte, já desde a estrada mais próxima se avista a monumentalidade do edifício, que parece estar em simbiose com a paisagem.

A história do hotel está embrenhada em contornos misteriosos, talvez derivados do facto de ter sido um hotel de tratamentos baseados em água radioactiva, e que, tendo em conta as propriedades nocivas da radioactividade no ser humano, provocaram o efeito oposto. As populações que habitam nas aldeias mais próximas afirmam que pertencia a alemães, outros dizem que era de ingleses, e há quem diga ainda que era de franceses. Existe ainda uma lenda local que atribui o hotel a um D. Rodrigo, um conde espanhol, que tendo a filha muito doente com uma doença de pele, a curou nas águas da zona, e ai decidiu construir um hotel. No entanto, em nenhum registo oficial se encontra menção a algum D. Rodrigo. Os dados que se conhecem parecem apontar para a origem do hotel numa companhia de exploração mineira francesa, sendo que as Minas de Quarta-Feira não se encontram a grande distância do hotel (e o que explica a locomotiva mineira presente no terreno), a qual seria responsável pelo envio de Urânio para os laboratórios em Paris onde trabalhava Madame Curie, e por ter dado o nome às nascentes naquela área de “nascentes Curie”. Há rumores relacionados com estes dados que afirmam que a própria Madame Curie esteve na região para estudar as águas durante 4 meses, mas nada se encontra de oficial que aponte para veracidade destes rumores. Segundo as autoridades do município, o terreno eventualmente caiu nas mãos da Sociedade Águas Radium, e mais tarde da Companhia Portuguesa de Radium, de capitais ingleses e que teriam popularizado o nome de “Radium” para as águas das nascentes que abundavam no terreno. Estas empresas teriam apostado num primeiro momento nos tratamentos termais, e posteriormente acentuado mais a exploração hoteleira. No entanto, o hotel acabou por ser abandonado, tendo sido leiloado em Lisboa nos anos 60, e havendo indícios de intenções de o recuperar perto do fim do séc. XX. No entanto, tal nunca sucedeu e o hotel mantém-se em ruínas.

Perdido na paisagem da freguesa de Sortelha, o Hotel Serra da Pena é um pequeno tesouro arquitectónico escondido na paisagem, cuja história obscura lhe dá um carácter misterioso. É um bom local a visitar, e o visitante não se preocupe, pois não anda qualquer radioactividade no ar, apenas uma sensação de paragem no tempo.

Mapa e Coordenadas de GPS: lat= 40.318642 ; lon=-7.254926

Comentários

(33 Posts)

Investigador da Universidade Nova de Lisboa nos âmbitos de literatura medieval, culturas e mitologias europeias.

Deixar um comentário...