Frecha da Mizarela

Esta Frecha da Mizarela leva z e fica no limite da antiga província do Douro Litoral, e portanto não deverá ser confundida com uma outra Misarela, esta que leva s e que é conhecida pela sua ponte, situada em Montalegre, Trás-os-Montes. A Frecha, a tal que leva z e não s, é uma cascata, e pode ser vista de vários pontos da Serra da Freita, sendo o mais famoso um miradouro que se encontra à entrada da aldeia da Mizarela. Por uma estrada que parte precisamente desse miradouro, pode ainda descer-se ao rio numa de lhe gabar a altura, ou numa outra perspectiva, mais afastada, ir até à aldeia da Castanheira e, do cimo de uma das pedras parideiras, avistá-la a norte.

A cascata forma-se enquanto vítima de duas coisas: da pujança do rio Caima, e da geologia da zona (nomeadamente da alternância entre xisto e granito, o primeiro menos resistente à força da corrente do que o segundo), causadora da dita frecha que existe numa altitude superior a sete dezenas de metros, numa escarpa conhecida pela sua vegetação milenar e que afunila a serra, a pique, ao ponto de não lhe conseguirmos ver o fundo. A queda de água é uma consequência natural deste abrupto desnível, transformando-a na mais alta cascata do país e uma das maiores da europa ocidental. Fascinante é ver a continuidade com que a água é projectada para a frente, como se a ferida aberta na pedra fosse o último centímetro de uma mangueira.

É essa a imagem que nos fica: uma eterna abundância desse elemento primo. Em dias de secura, a Frecha da Mizarela choca pelo paradoxo. Parece um oásis da Freita, uma torneira que algum Deus irresponsável deixou aberta, um chuveiro esculpido e feito à medida de gigantes. Aqui, qualquer homem fica pequeno.

 Coordenadas de GPS: lat=40.862956 ; lon=-8.282818

Comentários

(264 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.