Drave

Entre a Serra da Freita e de São Macário, após um caminho que, vindo de Arouca e passando pelo Portal do Inferno, se adivinha pedestre dado o mau estado das estradas, e no qual se podem avistar imponentes águias a sobrevoar as serras, avista-se numa cova do sopé de ambas as serras uma aldeia de xisto de seu nome Drave, que é também conhecida como a “Aldeia Mágica”. A atmosfera da aldeia atribui-lhe este nome, visto ser uma aldeia desabitada, que mantém no entanto toda a sua integridade como se ainda tivesse habitantes.

É composta por imensas casas de xisto em tudo semelhantes às históricas aldeias de xisto que abundam nas Beiras, no caso concreto na Beira-Litoral, em harmonia com a bonita Igreja e os tradicionais espigueiros, e com o belo cenário natural que a rodeia. É ainda percorrida por um belo rio que resulta da afluência dos ribeiros de Palhais, Ribeirinho e Ribeiro da Bouça, acima do qual se encontram pequenas pontes a ligar os dois antigos núcleos populacionais da aldeia. O rio culmina numa pequena cascata, no coração da aldeia, na qual é possível tomar um banho refrescante em águas cristalinas. Toda a aldeia é permeada por árvores e pequenas clareiras cobertas de relva, onde crescem árvores de fruto, e perto das quais se encontram mesas de xisto irregulares dignas de estarem presentes num filme de fantasia.

Drave é desabitada, mas não abandonada, sendo objecto de visita frequente de escuteiros e exploradores agrícolas que lá mantém alguns cultivos. Pensa-se que os últimos habitantes terão saído da aldeia há cerca de duas décadas, mas a origem da aldeia é desconhecida, tendo-se no entanto a noção de que terá bastantes séculos devido à presença de castanheiros centenários na aldeia, e sabendo-se que é o berço da família de sobrenome Martins. Os seus habitantes dedicavam-se à agricultura de cultivo e pastoril, e também à exploração mineira de volfrâmio. A atmosfera misteriosa da aldeia ganha ainda mais um toque de magia ao ser considerada assombrada.

Conta-se que os últimos habitantes na aldeia da família Martins, o Sr. Joaquim e a Dª. Aninhas, já com avançada idade, receberam um dia na aldeia a visita de um rapazinho de 10 anos chamado Carlitos, de proveniência desconhecida, e aparentemente abandonado. O casal, que vivia sozinho, afeiçoou-se à criança e adoptaram-no, e o Carlitos passou a ajudar o Sr. Joaquim a arranjar lenha. No entanto, num trágico dia, o Sr. Joaquim estava com dificuldades em cortar um velho castanheiro, e pediu ajuda ao Carlitos. Por azar do destino, quando o rapazito chegou, foi quando a árvore finalmente cedeu, tombando em cima da perna do Carlitos e esmagando-lhe o joelho e o fémur. Em grande aflição, o Sr. Joaquim percebeu que era grande a hemorragia, e que o Carlitos iria morrer ficando ali, e viu-se obrigado a cortar a perna do rapazito com o seu machado de forma a conseguir transportá-lo até casa. Apesar deste esforço, a meio do caminho o rapaz faleceu da perda de sangue. O Sr. Joaquim, com grande agonia, percebeu que não poderia levar o Carlitos de volta, pois a sua esposa nunca mais ficaria bem, e decidiu carregar o corpo até perto de Palhais e ai enterrá-lo. E assim foi. Diz-se que o choque foi enorme para o casal, e acabaram por falecer semanas mais tarde. Mas conta a lenda que o Carlitos ficou a assombrar Drave, em busca de um corpo para habitar, e que o seu sangue ainda pode ser encontrado no trilho entre Drave e Palhais.

Lendas aparte, Drave é uma aldeia maravilhosa e atmosférica. As Serras de Freitas e São Macário estão localizadas no distrito de Aveiro, concelho de Arouca e na freguesia de Covêlo de Paivó. Para encontrar a aldeia é necessário partir a pé de Covêlo de Paivó, Regoufe ou de São Pedro do Sul, sendo os três percursos bastante diferentes. Pode-se fazer a tentativa de ir de carro, mas torna-se impossível a partir de certa altura a não ser que se tenha um jipe. Vale a pena a caminhada no entanto, pois Drave é um local inesquecível.

Coordenadas GPS: lat=40.860987 ; lon=-8.117198

Comentários

(33 Posts)

Investigador da Universidade Nova de Lisboa nos âmbitos de literatura medieval, culturas e mitologias europeias.