Capela de São Pedro

Quase colada ao morro onde se encontra o castelo de Santiago do Cacém, encontramos a Capela de São Pedro que se estende de forma horizontal, a acompanhar o declive de um terreno que vai descendo até à vila, em paredes tipicamente baixo-alentejanas, de alvenaria de pedra e cal. Não tem, por assim dizer, um traço distinto, mas está hoje tão caiada que funciona como contraponto luminoso à pedra escura do castelo que está ao fundo, criando-se uma expectativa dela que historicamente não tem bem razão de ser – aliás, não se sabe, ao certo, a data da sua construção, embora se consiga confirmar que as primeiras pedras deverão ter sido encaixadas por alturas quinhentistas, na fase em que o país se tornava ultramarino.

É portanto o seu encaixe paisagístico e o choque da sua brancura que lhe dão a força de imagem de que goza hoje, bem como o seu carácter actual, livre de culto religioso, que lhe atribui uma certa aura de neutralidade, rara nas capelas actuais.

Divide-se em dois compartimentos, o alpendre ou galilé que serviu antes de apoio a peregrinos das festas religiosas do mês de Junho, por um lado, e a capela em si, por outro, onde se encontram painéis de azulejos dedicados a João Paulo II – de origem recente, como é evidente – e a São Pedro.

Mapa e Coordenadas de GPS: lat=38.015832 ; lon=-8.699644

Comentários

(251 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.