Cabo de Santa Maria

Quando comparado as outras finis terras do Algarve, e na costa ocidental há muitas assim tidas, o Cabo de Santa Maria fica a perder.

E perde pelo desconhecimento. Mesmo estando num dos parques naturais mais visitados do país: o da Ria Formosa.

O ponto mais a sul de Portugal

Se perguntarmos à maioria das pessoas, mesmo algumas algarvias, qual o ponto mais a sul do território português, muitas terão outra resposta que não este. Provavelmente, uma boa fatia desse universo dirá o Cabo de Sagres. Além disso, o sítio mais meridional de Portugal é ofuscado por um outro – o do extremo ocidente. Com efeito, o Cabo da Roca é um recorde europeu, e o de Santa Maria é apenas nacional.

A verdade é que o Cabo de Santa Maria é mesmo o mais perto de África que podemos estar, mantendo-nos com os pés em solo luso.

Para mim, é uma pena que este inconsciente lapso exista. Se o Cabo de Sagres tem uma carga mística que o transforma num sítio de visita obrigatória (como acontece com o igualmente algarvio Cabo de São Vicente, para mim mais bonito, até), o de Santa Maria ganha noutro campeonato: o da natureza na sua forma prima.

Maravilhas da Ria Formosa: o Cabo de Santa Maria e a sua Praia Deserta mostram-nos um Algarve despido de imobiliária

A praia deserta

Chegar ao Cabo de Santa Maria não é simples. A menos que se queira dar aos braços, não estamos dependentes apenas de nós. De qualquer forma, o tempo de ajuste aos horários dos barcos que lá nos levam são compensados na chegada.

Estamos na Ilha, como alguns locais a apelidavam.

Entretanto, uma fisga de acesso aos portos de Faro e de Olhão dividiu-a em dois novos ilhéus. São eles a Ilha da Culatra (ou Ilha do Farol) e a Ilha da Barreta, também conhecida como Praia Deserta (nome na mouche), e onde se encontra o Cabo. A primeira ainda encontra uns pólos de comércio, e até poderá alugar-se um pequeno apartamento e ter uma praia inteira só à nossa conta. Já a segunda, a do Cabo de Santa Maria, é casa de ninguém.

Não se espere que haja uma referência ou marco geográfico ao nível do que encontramos na Roca. Aliás, o Cabo de Santa Maria não é mais que um lanço de areia, fazendo uma curva a apontar para sul. De assinalar, só mesmo um farol branco e espadaúdo que sobe na Culatra. Consta-se que esse guia dos pescadores que ali andavam nunca teve vida fácil.

Também não será preciso mais que isso para se viver essa experiência quase magrebina. Ali, num porto de barqueiros e aves migratórias, o calor e o cheiro da curcuma marroquina está bem perto.

Vista para a Ilha do Farol, no Cabo de Santa Maria

Mapa e Coordenadas de GPS: lat=36.960628 ; lon=-7.890668

Comentários

(287 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.