Anta do Zambujeiro

Dadas as suas proporções, há quem pegue na Anta do Zambujeiro e lhe alongue o nome para Anta Grande do Zambujeiro, já que os esteios da sua câmara atingem quase o tamanho de quatro pessoas, chegando aos seis metros de altura. É tida como uma anta no sentido clássico do termo: um santuário com corredor e câmara ao fundo deste, formada por sete esteios (o número sete não é uma curiosidade, e a maioria do megalitismo português deixa-se influenciar pela magia deste número) em cunha e com um chapéu de pedra a tapá-la em cima.

O seu corredor conta com quinze metros de comprimento, e é parcialmente tapado, já no seu final, e consta-se que foi ainda decorada com pinturas no lado de dentro da câmara. Rara é a divisão que se fazia ao longo do corredor através de pedras em posição vertical, como que a separar dois sentidos, um para quem entrava, e outro para quem saía, divisão pouco habitual neste tipo de monumentos, e que não sabemos se corresponderia a um função ritualística ou meramente funcional.

Deverá ter sido usada há cerca de 5000 anos atrás, e é uma verdadeira mãe de todas as restantes antas que pululam à sua volta, nesse epicentro megalítico que é o Alto Alentejo.

A sua monumentalidade é mais que óbvia, sendo claramente um dos exemplos maiores da Península Ibérica.

Mapa e Coordenadas de GPS: lat=38.539139 ; lon=-8.014205

Comentários

(251 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.

Deixar um comentário...