Anta da Comenda da Igreja

Um dos maiores exemplos de megalitismo em Portugal situa-se perto de Montemor-o-Novo, em São Geraldo, circundado por azinheiras, e é conhecido por Anta da Comenda da Igreja.

Muito provavelmente, sobretudo tendo em conta a sua dimensão – juntando câmara e corredor, perfaz cerca de 16 metros -, tratou-se de um espaço comunitário das gentes do Neolítico Final, possivelmente aproveitado mais tarde por gerações do ferro.

É também das poucas antas onde ainda conseguimos vislumbrar, em certa medida, como seria originalmente. Não esquecer que, na altura da construção, as antas eram montadas no interior de pequenas ondulações que o chão paria – as ditas mamoas -, sendo várias vezes utilizadas como túmulos com objectos votivos a acompanhar. No caso da Anta da Comenda da Igreja, a mamoa é bem visível Muito mais do que na maioria dos exemplos desse antro da cultura megalítica que é o Alto-Alentejo, que, por influências várias, com os elementos erosivos à cabeça, foram destapados dessa cobertura natural.

E convém ainda lembrar o que uma anta poderá significar: o lado feminino da natureza, numa representação em pedra do órgão sexual da mulher, por oposição ao menir, que representaria um falo, e portanto, o lado masculino. A sublinhá-lo estão alguns elementos lá encontrados, de roedores, talvez de coelhos, animal que simboliza a fecundidade. Esses mesmos foram talhados em pedra verde, podendo aí, na escolha da cor, estar mais uma ligação à terra e ao seu poder fecundo.

Tendo em conta a extensão do corredor e o espólio encontrado, parece que estamos na presença de um monumental poiso funerário, sendo o corredor, apenas parcialmente tapado nos dias de hoje, um canal de transição simbólico entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos. A comprovar essa passagem de dimensão estão os báculos descobertos dentro da câmara, objectos de poder, semelhantes aos posteriores bastões dos druidas, cuja posse significava um reconhecimento de liderança espiritual e gnóstica.

Indo aos esteios da câmara, contam-se oito – o sete é normalmente o número favorito, sendo esta uma das excepções à regra – com cerca de 4 metros de altura cada, e a sua tampa encontra-se quebrada, segundo crença popular, por uma queda de um raio (realidade ou folclore, não sabemos, mas tendo em conta o ambiente mágico que aqui se vive, provavelmente o segundo).

É monumento nacional há quase cem anos.

Mapa e Coordenadas de GPS: lat=38.758022 ; lon=-8.203125

Comentários

(264 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.