Adega do Ermitão

O nome vem de um ermitão francês chamado Guilherme Marino que deambulou pelo ocidente e aqui se fixou, numa vida frugal e de comunhão com a natureza circundante: a do pulmão verde de Guimarães, conhecida por Penha. Esta mesma brecha foi depois colonizada por uma pequena comunidade de carmelitas que se encarregaram de proceder à santificação cristã deste miradouro vimaranense. Mas fora esse pedaço de história, há que não esquecer o que a Adega do Ermitão é no final de contas: uma fenomenal gruta, naturalmente formada, e aproveitada para armazenar um excelente vinho verde tinto, servido em jarro de porcelana com tigelas de barro individuais, e acompanhado com bolo de sardinha ou de carne de porco ou de bolinhos de bacalhau.

O roteiro a fazer é simples, ir ao topo da Penha e de lá de cima ver-se toda a cidade de Guimarães e mais o que está para lá dela. Baixar um pouco ao Santuário da Penha. Depois seguir em frente, atravessar a estrada, e não ter medo de ir ao fundo do que não está à vista, em direcção a este improvável tasco típico nortenho.

É aí que se esconde a Adega do Ermitão, taberna ao ar livre onde o piso é de granito natural, o tecto é de granito natural, e as paredes (quando as há) são de granito natural. O balcão é escavado num enorme penedo e abriga garrafões de tintol, bem fresco e com aquele piquinho característico dos verdes minhotos. Improvisou-se uma tenda, porque as rajadas de vento frio do norte não perdoam a partir de Setembro, e consumou-se um excelente espaço de petiscos, ao alcance de poucos, não por falta de qualidade mas por falta de conhecimento – falei com residentes de Guimarães que nem sequer a conhecem, sobretudo os mais novos. Há autocarros a ir e vir diariamente, isto se o teleférico estiver fechado, como pode acontecer nos meses de Inverno. Se os horários não forem do agrado do visitante, faça-se a coisa a pé que nada se perde a não ser peso.

 

Coordenadas de GPS: lat=41.433948 ; lon=-8.268454

Comentários

(287 Posts)

Um tipo que não desiste de dar a conhecer aos portugueses um país que eles mal conhecem: Portugal.