5 TRADIÇÕES NORTENHAS A CONHECER

Entre o profano e o sagrado, estas são cinco velhas tradições de três províncias exclusivamente nortenhas: Minho, Douro Litoral, Trás-os-Montes.

  1. Procissão dos Sete Passos
  2. Pinheiro de Guimarães
  3. Caretos de Lazarim
  4. Diabos de Amarante
  5. Zés Pereiras

Procissão dos Sete Passos


Um ritual telúrico em Freixo de Espada à Cinta

Em Freixo de Espada à Cinta, um homem corcunda arrasta-se atrás de outros dois que carregam um ferro pelo chão. Faz-se à noite e à luz das velas, todas as sete Sextas-Feiras que vão do Carnaval até à Páscoa, num dos mais hipnóticos ritos portugueses.

Saiba Mais Aqui


Pinheiro de Guimarães


29 de Novembro, em Guimarães, é dia de bombos e rojões e um gigante pinheiro

As festas Nicolinas, em Guimarães, fazem-se à roda do dia do Pinheiro. Todos os anos, um exemplar é cortado e arrastado, por carroça e à força de bois, até ao centro da cidade. A acompanhá-lo, agrupam-se milhares de vimaranenses (e não só) a ritmar a chula nos seus bombos marciais. É a 29 de Novembro, todos os anos, mesmo que 29 de Novembro calhe numa Segunda-Feira de chuva.

Saiba Mais Aqui


Caretos de Lazarim


Máscaras tão perfeitas que metem medo, no Carnaval de Lazarim

De todas as misteriosas máscaras que se passeiam para festejar o fim do Inverno ou o início da Primavera, as de Lazarim, saídas à rua no Carnaval, são as mais rigorosamente trabalhadas. Algumas podem ir acima de 1000 euros. Servem para mascarar pessoas de demónios que, neste tempo de morte do Inverno, podem fazer o que bem lhes der na telha.

Saiba Mais Aqui


Diabos de Amarante


Os festejos ao diabo e à diaba, símbolos de Amarante

Dia 24 de Agosto, aquele em que segundo crença popular o mafarrico anda no ar, os dois diabos negros de Amarante (na verdade, um diabo e uma diaba) saem à rua, levados em ombros. São duas estátuas muito pouco católicas mas que têm tratamento de arcanjos. Uma procissão dos diabos, portanto.

Saiba Mais Aqui


Zés Pereiras


Grupos de bombos que fazem vibrar o Minho

Tradição minhota onde grupos de homens, acompanhados ou não de outros instrumentos, nomeadamente da Gaita-de-Fole Galega fazem tremer o chão em dias de festa. Quando os ouvimos de perto, tanta é a vibração que é difícil mantermos os pés fixos no chão.

Saiba Mais Aqui